Não morrer demais

Alegrias conceituais bem sucedidas são difíceis de retirar do pensamento, mas o novo bate bem as metas das probabilidades. O escopo é ambicioso: a relação entre substâncias e poesias. As fontes são originais: transmissões de rádio, mensagens codificadas, bordados, bolas de lã e guardados das gavetas. E, no entanto, apesar do que se poderia imaginar, o som permanece puro e escuro, mal-humorado e eletrônico. Pode-se creditar isso ao grande volume dos contrastes dos amores disponíveis…  Enquanto debruçado sobre as pedras, se concentra em pequenas máquinas e engrenagens. Encontrar relação dos ritmos entre o diálogo do rádio antigo e o som da água.

A imagem dominante é a da tempestade se aproximando (que atingiu nos atingiu durante a noite, imprevisível), seguida pela perda sem precedentes da vida e da terra, e, finalmente, o rescaldo.

Mas outras histórias estão em jogo aqui, também no que se refere a uma barreira construída para a tal tempestade; um preciosista, que observando que a área está abaixo do nível do mar, abaixo do nível dos olhos, brinca que podem estar cavando suas próprias sepulturas, que faz com que o tempo não vivido permaneça… não vivido…

Então, você está com medo de quê? A resposta é de ser a mesma de antes, a mesma no canto, quieta, aquela que não diz tudo sobre si… enquanto a chuva cai. A maioria sabe que se inundando apenas de uma história não se encerrará com o período de chuvas. Mas com ou sem tempestade, a água estará sempre a subir. Na tentativa de fundir ameaça e reconciliação, buscando o mesmo tipo de harmonia que sente em ouvir sua música preferida ao gosto de um café antes das oito horas da manhã, quer se aliar com a experiência.

Quer ser devorada pelo mundo.

016-eva-besnyo-theredlist

Eva Besnyö, Self-portrait, Berlin, 1931

 

 

Frágil

Que a melancolia sempre assombra, escurece. Rouba o meio da noite, para sempre ou vez ou outra enternece, altera e seca aliviando um humor frágil. Queria era um jantar preparado. Foi-se toda a alegria e inspiração e uns rabiscos são tudo que tenho para mostrar, até ao romper da manhã. Procurar um traço de um beijo, um abraço. Às vezes conseguia fazer caminhadas ao amanhecer, o que pode um corpo? E isso fazia alegria. Muitos belos discursos, sugestões, documentos para o fim específico.

As almas se perdem sem reparações, pois as placas não falavam a verdade. No verão já estavam lá e ninguém lhes deu atenção, não levam a lugar algum. O que você mais se quer neste momento é apenas a lucidez da hora de seguir em frente, saber se está procurando a única coisa que vai trazer a não-ação (repetidamente). E agora eu quero ser um homem (ser um homem) homem vermelho, homem menstruando. Sempre tinha que ter mais.O limite de idade. Quem vai reparar minha alma? Não é de surpreender  as veias protuberantes em suas mãos, a pele mais seca, um caso clandestino. Às vezes só se quer desviar dos maus hábitos, como beber e fumar por exemplo, mas não é um momento para fazê-lo. Tentar uma leitura diferente. A boa sorte estará a caminho, esse não é um bom lugar de se estar.

Amanhã os braços abraçarão o vazio.

016-ingmar-bergman-theredlist
Ingmar Bergman por Irving Penn

Com a pele

Está se fechando demais, siga até eu ver onde você começa a se esforçar em tempos tão apertados. Quarenta horas para sair e verá quando os copos quebrarem no chão. Então vai ser tempo para crescer e eu vou tocar seu coração.  E siga até eu ver onde você começa a arder.‘Debaixo de montanhas cobertas de neve vou partir seu coração eu vou estar sob sua pele, vou partir seu coração’. E siga até eu ver onde você começa a quebrar a cara de todos eles. E o muro desmorona. Um momento íntimo de auto-reflexão e remorso. Me apequeno se questiono as coisas muito, e às vezes isso me leva a muito pouco, bem longe do possível. Auto-sabotagem mesmo diante da oportunidade de felicidade diante dos próprios olhos. Às vezes é mais fácil deixar o ego dominar e às vezes você fica preso em um momento que lhe dá alguma clareza. Um desses momentos: uma fração de segundo de atração que se transforma na percepção de que o que já tem ou teve é muito mais real e significativo do que o que está acontecendo lá, naquele momento. As relações são como tudo na vida que insistem só porque você está profundamente apaixonado por uma ideia, não o impede de ser cegado momentaneamente, fatalmente. Está tentando reconhecer esse traço e lutar contra esse instinto. Não há tal coisa como a perfeição, mas todos nós podemos tentar ser pessoas melhores, não podemos? Disse-lhe que nunca voltará para casa e se essa vontade se transformar em uma onda, deixará você sozinha. E a sua vida tomou um rumo estranho, desnorteando você no meio da noite e a noite se transformou em dia, e sua menina disse que te amava.

 

2008TorontoArt_KrisKnight

Kris Knight

Interior

E o seu coração montou em uma onda negra e sussurra que nunca voltará para casa.

Não olhe para baixo, eles estão fazendo sons loucos neste campo de batalha vazio. Não olhe para baixo. Não sei quem mais veio para ajoelhar-se. Hoje à noite tome uma dose, fume uns cigarros, tome sereno e deixe o rubor subir pelas pernas. Não são as vermelhas roupas que veste que irão aquietar os batimentos que insistem em doer. Há algo, mas não olhe para baixo. Sempre venta.

Explodir as coisas em preto e branco com fogo nas mentiras, tenha-se coragem. Ontem ele se mudou, hoje ele foi traído e na rua ali, no chão, os vizinhos se reúnem em volta montando guarda, lembrando das coisas que ainda tem que se cumprir mesmo que de forma sórdida.  Uma vida de trabalho, inúteis em prontidão. Não olhe para baixo nos próximos dias, tem um som ruim vindo de lá. O que você faz com uma vida de trabalho?

Segue no transporte para o campo de batalha para enfrentá-la ainda na parte da manhã. A separação dos caminhos da alegria é o choque que terá que vir. Por causa do que você quer? Ainda dói e só dói quando dói a vida de pensamento, no início da manhã, no meio da tarde e no início da noite. Comer ou ser comida? Eu sinto a fome nos olhos. Há algo, mas não olhe para baixo, eu sei quem são essas pessoas e sei o que elas representam. Marcas de mãos nas paredes, a saída comum é dizer a verdade e paredes marcadas podem destruir o pensamento de perfeita civilização ensolarada.

Truques e ensaios aguardam a criança. São apenas mais algumas noites a se conquistar.

84.31_hopper_imageprimacy_800

Edward Hopper

Levantou-noite

Isso é sobre-onde está sua cabeça? (Foda).

Não, querido, está chateada porque eles continuam mudando os sabores. Ele que nunca a tinha visto daquela forma, com roupa de casa, descalço, cabelos confusos. Ele disse que sabe de uma coisa, eu achei muito… limpo e apesar de tudo, estava presente. Pensava em novas formas de ser idoso. Sem mostrar algumas peles (cortou um tom grosseiro do porteiro) disse o que fez imediatamente e que o café estava esfriando. Estou mantendo o novo ‘espírito da coisa’ (era tão complexo que do corpo partiam uns raios com forte poder de atração) e reaprender com as meninas é um estranho tipo de alegria.

Olhou bem o terreno onde pisava quando tomou uma caminhada sozinha ontem à noite, quis saber se chovia forte de novo. Se arrastou novamente pra cama, as intenções boas dormiam dentro de sua cabeça. Caminho de ouro com um pouco de humor, era disso que precisava. Olhos miúdos, quis cigarros, quis leitura, quis chamegos.

Colocar-se rapidamente no meu lugar, lugar-conforto de cada palavra que de tão complicada como nós, inflama. Deve manter sua cabeça acima deles e você não precisa pedir muito para conseguir o meu ‘estar pronta’ para sonhar esperança em novas formas.

Deixe-me ver a marca da masculinidade do outro lado da mesa, em cinzas. Eu só posso sonhar de como seria tão impressionada por risos. Mas sexos sensuais dilaceram o coração mais forte do que a maior parte dos miúdos em outros dias… Agora corra ao longo da avenida, você tem que cair de quatro na minha fé,  lhe bastará alguma crença. Ele me ensinou a contenção. Então quer ser o lembrete de que é mais forte do que a maior parte dela mesma em outros dias. E quando eu voltar para a minha vida para conseguir me recompor, quando estiver de volta, eu acho que vou dar-lhe uma chamada.

043-mark-cohen-theredlist
Mark Cohen

In a different place

Seguia pelas ruas e de dentro do táxi observava pontes e lanternas traseiras dos carros. Ela apareceu perto da estação de metrô, de quase burca e carregando uma espécie de embornal. No verão, quando o clima é quente, a sua aptidão para deslizar pelas fronteiras enfraquece e ela escreveu algumas coisas surpreendentes enquanto esperava. Você pode esticar o nariz direto para cima e tocar o céu, estará apenas a fazer o que você sente. Traga sua garrafa, use suas roupas brilhantes e venha. Bem, eu não sei por que vim aqui esta noite, disse. Mas serviu. Eu tenho a sensação de que algo não está certo, assustada caso saia de sua cadeira e siga em minha direção; e eu estou só querendo saber como eu vou descer as escadas rolantes sem prender o pé, pelas que vieram antes e depois de nós. Resistência. Esta nova peça é sobre o quê?

Eu escrevi a ele como uma aflita e pedi alguns conselhos, e ele escreveu de volta algumas coisas surpreendentes. É uma troca que realmente me aquece. Ele mudou um monte de coisas sobre a minha vida. É um jeito especial de se conhecer alguém, não acha?

Você diz que está trabalhando agora em “sistemas”? Há uma série de sons e filtros para basicamente responder aos vermelhos. Nostálgico? Político? Algo mais? A polícia coloca alguns panfletos em circulação, verdades forçadas. Não moço, eu não fiz nenhuma dessas leis, elas não são para mim.

Eu não tenho uma resposta para isso agora. Uma nuvem de fumaça se espalhou pelos três andares superiores naquela época, não vou ser capaz de falar sobre isso dessa forma. Critérios bons são os que de alguma forma sejam verdadeiros. “Resonant” é uma palavra muito grande para mim. Há uma outra nova forma estranha de um mundo como nunca se viu antes.

É sobre o meu cachorro, minha mãe, tempo, vida, morte. Todas essas coisas.

 

O que você toca? Ouviu-se o som de estilhaço de vidro seguido de um forte estampido.

 

markCohenWomanSmoking
Woman Smoking – Mark Cohen

 

 

Irresistível

O papo é solto e o frio acontece na espinha quando as peles roçam.

Por vezes tão cansada que fecha-se por mais de quatro horas sempre gerando algum desconforto, além de desejos e intenções segundas em uma espécie de re-sentimento. Quando os tempos estão assim segue ficando no incerto. E até que o tenha de alguma forma sob a pele, vibrando, como a sensação eletrificada, seremos em suspenso. Porque você se parece com chuva, diferente a cada vez. A carcaça está a desmoronar-se e você finalmente poderá deixar que eu entre na sua vida. Será no tempo de frio, eu espero.

Os amores ficam bons, aconchego. Penso em escapar dali, ir embora, descer o elevador, devagar, lance por lance, para pensar. Vou de escadas, decido muito antes da minha saída. São mais felizes quando as coisas boas são esperadas para acontecer e não quando estão acontecendo. O ritmo é um dos mais poderosos dos prazeres, hum, e espera que continue assim. Ficaremos ali, a nos olhar, com Coltrane nas nossas costas tentando materializar o tão sonhado arrepio doce. Abrandar a respiração o suficiente para caminhar. Há de fato uma coisa como “tempo”, grita. Mas Matilde reverbera – pois é o segredo do bom tempo, e eu só vejo degraus. Arte, só por amor.

shoji-ueda-girls-1945.jpg

Shoji Ueda, Girls, 1945

 

 

Mas eu não posso esquecer quando nada

Quando você optar por esconder seus olhos, tira-me daqui, esvazie os bolsos. Vê se encontra conforto nessa vida, talvez eu sei que, talvez, seja melhor assim.

Mas eu não posso esquecer que quando eu sei onde estou todos os dias, todas as noites como aquele que sabe demais, estou sã. Antes que te visse você estava em um bar esfumaçado, cantarolando violent femmes, rabiscando guardanapos, nada que prestasse, disse.

Acordo sempre bem cedo e, por força da necessidade de me ver integrada ao mundo em que vivo resolvo, já com olhos embaçados e voz embargada, fazer café. Fumar. E você disse que gosta de conversar, gosta de brincar e que estava muito assustado ali ao lado.

Compra o meu pão. Uma senhora que dorme na calçada abraçada a uma criança de brinquedo, de acordo com os costumes antigos, acorda cedo também. Bem, eu não ligo para o que está certo ou errado quando você não está lá, então eu tranquei a porta. Deixe a chave por baixo quando sair.  Lembra como costumava dizer que só poderia ficar se fosse até tarde e eu não posso ficar acordada… E eu pensei de como nada nunca se sente mesmo que desapareça. Mas eu não posso esquecer o tempo que leva.

Eu lhe disse da rua?  Temos que contar nossos passos. Já tem mais de um ano, pois que a gente podia se melar novamente. Conte os passos, você deve se lembrar do caminho.

007_arno_rafael_minkkinen_theredlist

Arno Rafael Minkkinen

Não, você não precisa deitar em um divã

 

Hoje o dia pede que seja paciente. E quando você está em algo tão profundamente que você tem que retirar-se dos lugares comuns completamente?  Pois você não é mais aquela pessoa complicada de antes, já disse. Sussurrava: estou transbordando em sentimentos, não posso negar. Esmago casualmente o passado, mas às vezes eu fico realmente doce, em pensamentos. É afeto sempre. Eu estou ficando mais forte como pessoa, criando casca grossa. Mas às vezes eu só preciso… – ela está rindo agora – me cobrir de mandioca e carne e ficar escondidinha. E quentinha. Afeto é preciso. Olhar nos olhos, passar a mão, despedir. Condensava uma série de tarefas que estabeleceu cumprir, faz muito tempo que você não faz mais do que reler o mito de sísifo do camus. Pode ser um sinal do quanto a vida nos parece sem sentido. Em uma imagem se perdeu em silêncio e não há nenhuma maneira de sair. trabalha todos os dias de sua vida nas mesmas tarefas e esse destino não é menos absurdo. Mas ele só é trágico nos raros momentos em que se torna consciente. Acalme-se. A realidade está clara a sua frente e nem tudo é líquido. E quase dá pra apertar em um abraço. A visão está tão turva e eu estou tão cansada,  e eu vou abrir meu coração apenas para você.

 

001_chargesheimer_theredlist

Chargesheimer

 

É difícil lembrar da doçura

Para viver como as outras pessoas nessa época de compromissos, responsabilidade e foco. Concreto e prático. Essa mulher disse que eu estou dividida entre duas vidas, difícil esquecer a dor, mas é ainda mais difícil lembrar da doçura. Não temos nenhuma cicatriz para mostrar para a felicidade quando não temos como falar do amor. ‘Leve-me em uma unidade da noite, e depois para casa novamente numa viagem tranquila onde nos encontraremos no fim’ como em um pequeno romance. Desejo revestido de liberdade, memória e antecipação. ‘Eu ainda tenho uma arma de fogo para os meninos bonitos’ para viver como as outras pessoas. Hoje de manhã tinha um jornal cristão debaixo da minha porta. Para alguém que eu posso ter aliviado de todas as coisas que poderíamos fazer. Deve ser apenas as cores e a criança que mantêm alegrias por aqui. Porque quero ir à passeio nas distâncias, para uma noite de janeiro, um velho amigo. Arregaçar as calças de brim, mostrar as pernas grossas, membros nem delgados e depois iria me abraçar. É tão difícil ir na cidade. Agora tudo o que quero fazer é ir a lugares vermelhos e tentar ficar bem. Isso me manterá viva nesta noite de janeiro.  Há uma falta de graça (que podemos dar a palavra seu duplo sentido aqui).

009_yasuhiro-ishimoto_theredlist

Yasuhiro Ishimoto