Acho graça

Quantas vezes não falei dele com amor?

Poderia estar somente cobrindo lacunas, atrás daquilo que falta à todas cegas. Não, não volto atrás. O que senti foi real, nada de vazias especulações explicativas, desculpativas, digestivas.

Uma vontade de lançar-se-me-muito a direção específica – cada amor contém um paraíso, sem saber, sem querer adivinhar o que o espera além do que você deixou no ponto de partida. Nunca mais voltarei a esse ponto de partida.

O movimento não existe, disse o sábio de cavanhaque. Imagino-me submetida a novas seduções.

011-chaim-soutine-theredlist.jpg

Chaïm Soutine, Polish Woman

.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s