Aqui

Eu me encolho no canto até que possa sentir a temperatura do lugar. Responsabilidade sobre seus ombros – ou pelo menos, agora se está ciente disso. Outras pessoas podem pegar algum desses destroços, e alguns são apenas bagagens antigas, mesmo assim…

É uma forma de escassez, esses nervos. Eu sempre tenho que lembrar-me de que há emoção nisso e nem é sempre que ela existe. E sempre que existe é esse medo de querer fugir, vontade. É porque você quer fazer algo bom e bem, eles dizem.  Ultimamente, eu realmente entendi de uma maneira muito pessoal como o medo é a emoção central que cria todas as demais opções em nós. “Eu nasci com uma colher de prata na minha boca. A mesma colher de prata que eu engasguei há muito tempo atrás.”

E eu acho que é preciso desespero! Não tenho estado viva o suficiente.

Uma espécie de demência coletiva derrama parte de sua vontade de socialização… Muita impaciência? O que voltamos a ser nesse núcleo de medo, essencial, talvez. Deixe seus olhos brilharem e dançarem e seja um digno do seu tempo. Tudo o que você tem no final de tudo, é o que você fez e as pessoas que você ama (o amor é morrer, o amor é não morrer, o amor é dançar e lamber-nos nus).

22497185_2465887170303607_1292629647_o.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s