Coágulo

Enquanto eu me deito nos limites de algumas alucinações e as rachaduras que eu considerei no passado ainda coçam as plantas dos pés, eu me pergunto se desperdicei o seu tempo…  Eu percebi que eu não tinha que temer coisas que eu gostava. Não precisava de permissão para esse gostar.

Como eles escaparam de seus olhos, como eu os tirei de sua mente, enquanto eu te deito nos meus frios.

Sim, está frio esta noite e sim, a sensação não é boa, uma espécie estranha em lugar nenhum. Então, gradualmente, algo sai da luz. Existem impulsos, formas semi-vistas, cores, retas, gradeados, contrapontos. Coisas que provavelmente ficaram em mim desde décadas atrás, bem como, mais recentemente. Todas as coisas no mundo passando por você como um filtro

Os ossos, o pescoço, a pele desconfortável.  Sim, a sensação não está correta, então eu vou segurar-me justa e precisa nos meus próprios pulsos. Eu ouço os sons mais estranhos bem abaixo desses buracos no chão. Todo esse tempo, sempre pensei que seria sua mão perto. Mas não vou piscar e sigo uma alma crescida púrpura e azul.

Cada pedrinha daquele barro úmido cheia de noite, em si mesma, forma um mundo. Mas eu encontrei algo em você.

23825497_2386299108262414_1818880356_o.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s