Ao menos um mínimo de controle

Antes, antes de sequer mexer um músculo, já sabia. Quis despojar-se de tudo que fosse excesso e incômodo do que é aparente na superfície. Não permitir que lhe dominem a alma. Como tentativa de ganhar corpo pensava em saúde. Mal tinha corpo naquela época. Zorba, o grego, lhe ensinou sobre os azeites, berinjelas, vinhos e pães. Sementes e raízes. Um nó na garganta de deus. Precisaria, sob todos os aspectos, ter um controle bom de si. A capacidade de amansar a própria fera interior, vulcão era àquela altura. Sentiu o líquido quente escorrer pelas pernas. Não se conteve.

 

tumblr_l0z5g1jslt1qak0lwo1_500_large

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s