Sempre sempre sempre estás viva. Vontade de comer o sol.

Começou de forma direta, depois a fome começa a se tornar cada vez mais abstrata. Isso pode trazer a ideia de que o não saber onde se está no mundo deve moldar você e tomar corpo. Até que ponto temos o poder de decidir sobre nosso estado de espírito, até que momento temos mesmo o controle sobre o que sentimos ser um ruído visual? Poder dar um corpo à ideia, não apenas um corpo arquitetônico, mas também um corpo com sangue, ar e espaço.

Eles estão claramente dizendo que, portanto, na verdade você está sob vigilância física. Pega então essa sua folha luminosa e escreve. O que o mundo faz com você, se o faz por tempo suficiente e efetivamente, você começa a fazer a si mesmo. O pensamento de família como berço de valores morais e segurança e afeto se esvazia diante da capa de revista na sexta, o telejornal no sábado e os jornais no domingo num baile envolvente e apodrecido. Eles estão pensando por nós. Esfrega os olhos e toma um gole. 

A pele das mãos está ressequida, quebradiça e feia. Olho como se me arrependesse. É um pouquinho de morte que sinto na boca, lá no fundo, quase medo de respirar. Essa sua vontade de ser mais e que ainda não foi o suficiente, ainda vai te sufocar. Ahn, que trabalho para limpar tudo, sempre penso. Podem desmembrar o corpo, deixando certas partes em locais onde provavelmente serão encontrados por urubus ou onde serão consumidos por lobos e vermes até que quase não sejam mais lembrados. Bravura dos que lutam pelo que não deve ser esquecido. A presença da pessoa não “desaparece” do mundo sensível (para onde iria?) mas permanece como uma força animadora na vastidão da paisagem, sutilmente , ao vento ou mesmo como a ira eruptiva, a ser aplacada, do vulcão. 

Os que nunca passaram por nenhuma privação real, da que dói o estômago, aquela que te turva a vista quando passa a maior parte do tempo embolado na multidão de famintos que tentam respirar e ser na penúria, negam a luz. E sordidamente calam e vulgarizam a sua voz. Nos chamam de lixo. A eles toda a ira não será castigada. Olha, minha amiga, estou aqui há tão pouco tempo e já queres saber quem sou? Pega a sua cruz de rubi que cintila no seu peito e busque não se envergonhar da sua vida.

A filosofia e a verdade não podem ganhar com paixão, violência, raiva e ressentimento. A mente firme e fixa que produz emoções pode perder a razão e resistência e quiçá a força para enfrentar o status quo com autocontrole, dignidade e convicção. Porque é tempo de se levantar sim, estender as mãos para frente, agitá-los até que se forme redemunhos de poeira vermelha e mirá-los nos olhos. 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: