Um caminho para o minimalismo

Costumava catar arruelas enferrujadas nas ruas, enchia os bolsos, a bolsa, a mochila. Andava olhando para o chão, sempre procurando. Sempre. Era lindo o encanto que as cores lhe causavam assim como a forma circular. A necessidade de acumular e juntar coisas e tê-las pela beleza que esses objetos lhe causavam, foi dando espaço a uma vontade do mínimo. Indo de uma ponta a outra, do acúmulo à limpidez. E é onde pouso, arrumando objetos, desfazendo de papéis, pesos, vidas, bolos, ciscos, já imaginando como serei quando minimal.

010_marie_amar_theredlist.png

Marie Amar

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s