Um cigarro entre os dedos

A luz vinha do corredor enquanto ela descansava a cabeça no seu peito.

Eles entenderam cada peça mas não conseguiam vê-las como um todo. Acordou de sono intranquilo e a queda teria ocorrido de qualquer maneira. Falou da lua e da noite e das botas cheias de lama. Não conseguira entender o que eles deveriam fazer ou às vezes até onde eles estavam, ou deveriam estar. Foi-se o tempo que ser beijada por um anjo era um casual encontro de dois mundos, sem trono, sem realezas. Confissões inconfessas, intensamente o que é mais importante não é dito, nunca é dito.

Queria fazer uma música. A diferença é que talvez você não perceba o magnetismo que há entre eles e o controle dos corpos, corpo controlado. Ao sabor da decepção com a reação ‘ela gosta de’ e em seguida ‘você não vai ser a mesma’. Experiência única. Não me peçam para ser mais precisa! Essa proeza só fazia crescer o (des)limite. Deixou crescer a barba em pensamento, comprou um par de óculos para míope e passava as noites espiando o céu estrelado com um cigarro entre os dedos.

Traduzindo em miúdos: a fumaça em loop.

016-ibrahim-mahama-theredlist

Ibrahim Mahama

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s