Vácuo

Não a diferença, mas a igualdade e apesar dos conselhos de como se deve pensar bem, suscitou uma ótima oportunidade para se refazer do golpe. Tinham muitas, muitas pessoas perto. Quem precisar de ajuda por esse mundo de expressão puramente sexual poderia obter o suficiente dele. A gente se vê transformando até mesmo as demonstrações de puro afeto em atos com toques de brutalidade. Beijos e abraços aumentam significativamente as chances de entorpecer meus sentimentos afetando o desprendimento de seu corpo físico e a necessidade de sensualidade e intimidade aumenta progressivamente. Intimidade. Com o vácuo, vem a indisponibilidade de alma, dormência, falta de foco e paciência emocional. O corpo pede a nossa sensualidade e intimidade.

Esboça um sorriso. Só esboça, a inundação se perdeu. 

''SENSUALIDADE DA LUZ - II'' - DSC02182 CS3 1 + C 22 cópia

Entrelaçamento

Acima de tudo era uma série de breves cartas que procurariam explicar como um mundo é mais forte e o que o torna assim. Aqueles diferentes de nós (sempre) a sair de nossos preconceitos e limites ensinam cuidar de si e de sua pele.  As imagens não registradas mostram  o quanto alguns viajaram para o passado dispostos a refazer o retrato com frente e verso. Narrativa fílmica que se segue nunca foi e nunca será mais do que um maravilhamento da espera, e da paciência, da atenção à multiplicidade das sensações, da consciência da mutabilidade do universo, da reflexão, da busca, da persistência. Brindemos então à pura alegria, à absoluta liberdade. E no entanto é plural e como poucos chegou às vistas revestido de lenda viva. E há sempre as estrofes dedicadas ao “soninho” e ao “carinho” – urgência incomum. Gastara apenas vinte e três segundos. Carregou-se rapidamente em alguns símbolos momento a fim de manter as emoções equilibradas (rs). Puro magnetismo.

 

1212

 

 

O quarto que não conheci

Que as horas correm tanto mais rápidas quanto mais agradáveis são, e é bastante provável que se queira dar um pouco de beleza ao ambiente, na sua casa (ou quarto), que são um só.  Os detalhes fazem a presença e um fenômeno às avessas se faz sentir tanto mais demorado quanto mais ausente são as lembranças. Porque o gozo não é positivo, mas sim a dor, que a beleza traz. Uma dificuldade extrema em reconhecer isso,  e que cessem os movimentos a fim de fazer escolhas mais racionais.

As escolhas a partir de caminhos aparentemente mais fáceis,  por impulsos emocionais levianos, gritam:  aceite! A dúvida!  Necessidade de algo que liberte, que permita que se pense melhor sobre tudo. Detalhes, pele, movimento, janelas em quadradinhos, riscos no braço, cores, azuis e vermelhos. Quase se escuta a respiração. E quase se perde o ar com o que ouve. ‘Não se deixe guiar por impulsos emocionais e dê tempo ao tempo’.

Este é o momento certo para harmonizar seu próprio quarto-corpo, e a coisa toda começa com você se tornando um lugar mais bonito, pacífico, tranqüilo. Simplesmente mudando a disposição dos móveis, abrindo a janela. Rompendo portas. Os prazeres das pequenas coisas. Ficar em casa assistindo a um bom filme, lendo um bom livro e o desejo de cultivar um bom relacionamento e uma boa história com alguém.

Fotor01024110542

Quartos abarrotados

Meu amor, existe a  ferocidade dos quartos abarrotados, impedindo de produzir algo novo, tente entender. A repetição é uma perpetuação, fico aqui comendo meus desejos e minhas verdades. Recomendam calma, pureza e amor no trato com as repetições e perpetuações alheias. É isso, não é? Portanto te informo que não ando por aí à procura de reviravoltas, apenas de bons prosseguimentos. Hei de ser perdoada, são menos de dois gloriosos anos que consegui um reencontro, diferente, melhor. Diferente do ‘fazer o que manda seu coração’ que  nos leva ao mesmo padrão (coração bobo coração bola).  A gente se ilude e espera que nos livre das altíssimas despesas de manutenção – coração, vinhos e táxi. Sim, envelheci, meu amor, e fico cada vez mais… levemente e sutilmente…

 

.049-saul-leiter-photography-1952-don-t-walk-small-the-red-list

Saul Leiter, Don’t Walk, 1953