Mantimentos

Queria acompanhar aquela pessoa, levaria cantis e sacolas com frutas. Esperaria o sono para anular mais algumas horas de espera. A noite era fria e acobertar-se era o que se devia pensar.

O rosto pálido e ainda tenso transparecia em sua expressão o fim de uma luta que teria ocorrido em sua vida faz tempo. Surgia daí hipóteses, vontades, metas. Talvez você se comprometa a comer alimentos orgânicos cultivados localmente, ou talvez você comece uma nova prática do ‘como você pode encontrar e manter seu centro’ – disse.  Não posso deixar de pensar imediatamente em várias experiências que se poderia ter a partir daí. Mas já que está fazendo sua própria coisa, você está em sua própria aventura, você está em sua própria missão. É quando eu realmente sinto que começo a entrar em algumas situações boas, agradáveis ​​e não-perigosas, assim quando em determinado momento da noite se levanta e começa a perceber movimentos difusos ao seu redor. Se tinha esperança naquela tarde era a de que finalmente o caminho se abriria. Então o que impediria? Vou ter que me sentar na cadeira de um analista para essa resposta. 

Eu sei ele teve uma abordagem muito criativa para a vida. Ele não era convencional e isso me ajudou muito bem. Tento não me surpreender com os personagens loucos com quem se a gente costuma se envolver nesta vida. Seu lema era: ofereça os poucos alimentos que dispõe. Ajuda mútua. Não importa se você bagunça; pelo menos você está tentando algo diferente. Alguma desistência que fosse feita no escuro incomodaria naquelas circunstâncias. Precisamos de todos, insistia.

A noite não foi ruim, estava o ar frio, muitas estrelas, um quarto de lua, uma vontade de encolher-se enquanto esperava pelo pálido do céu quando amanhece.

19723912_2298571487035177_288590066_o (1)

Anúncios

Quando paraíso

Acreditava que grande parte daquela estrutura, ainda que invisível, era imutável. Com uma taça nas mãos circulo pelo ambiente à procura de micro paisagens. Desejo de voltar às flores, ao sol e a todos os azuis (sentimento de afeição). Logo após um dia particularmente feliz, onde os caminhos estiveram por tanto tempo obstruídos, edito minhas imagens e sinto-me refeita, já que não precisavam de filtros. O olhar necessita cada vez menos de edição. Claramente, a mente tem um poder tão grande de se concentrar em qualquer momento que parece não ter um único estado de ser. E vou finalmente conseguir esquecer, perdoar, aceitar e compreender (…) não nessa ordem. Não em ordem.

Quando vi um dos dois entrar no táxi senti como se mesmo depois de separados eles certamente se reuniriam novamente. Separação temporária. A obviedade do que as faíscas que saíam dos dois significaria é desconcertante. Acontecem, sabe-se, quando o natural seja que se alinhem. Tenho um instinto profundo pela aurora, um trisco de racionalização e naquele estado (onde mais vulnerável) poderia ser facilmente abduzida por meus próprios delírios. A certeza acontece, pois que a incompletude gera encantamento. Pastel frito. Melhor pedir mais um, estou com fome. Sabe? O desnível da encosta era para se equilibrar. O reflexo na porta automática mostra alturas, diferenças e muito sorriso.

Aqueles que prezavam pela renovação da língua ou pela palavra nova que se inventa, ardiam naqueles dias. A violência atinge quem amamos que tornam-se vítimas no espaço onde deveria existir cuidado. Onde deveria existir a comunhão. Tempos difíceis, tempos horríveis aqueles. Há um grande trabalho negativo de destruição sendo realizado. Exigir a limpeza do indivíduo após investidas do estado com agressiva e completa loucura é infértil. Um mundo abandonando nas mãos de bandidos que se despedaçam uns aos outros e destroem os séculos. Tempos difíceis.

Das linhas paralelas se falava muito, enquanto o outono se aproximava, enquanto ainda no verão se esperava. Aqui está a nossa nuvem de diversão; poucos serão capazes de prever tal intensidade.

Tem sido insistentemente difícil saber o que realmente queremos; difícil distinguir entre amor e luxúria, entre o mundo prático e o mundo subjetivo; difícil não sucumbir àquela repugnante tendência perigosa (até um pouco religiosa) a idealizar e a julgar; difícil conciliar a proximidade necessária para a intimidade com a distância imposta e já necessária para o desejo; difícil aceitar a espera.

Queríamos dar beijos na boca e também nas bochechas.

028-carla-von-de-puttelaar-theredlist-1

Carla von de Puttelaar, Untitled, 2007

Um conhaque e uma cachaça

Agora é deixar de molho, posso entrar.

O som da torneira pingando, pardal longe, o perfume da casa e o silêncio do rádio. Coragem e os pés formigando presos no encosto de caixote. Por onde começar? Parcela de alvos, músculo e parede. Decide a parede, pedra maciça, olhar macio. Água fervendo no fogão, se atira no sofá e se permite uns minutos de letargia. Um gole de uma bebida forte agora cairia bem, levanta rapidamente, desliga o fogão (não haveria mais necessidade de ferver água) e abre o armário. Lá tinha um conhaque e uma cachaça. Escolhe pelo primeiro, serve-se dois dedos e volta para o sofá. Era o momento que se deixaria sonhar, desejar. Acho que vou escolher um bom vinil pra escutar. Ouvir um dos seus discos combinaria com a ocasião que ela mesma criou como presente para si. Billie Lady in Satin seria dramático demais. Tonny Bennet! Perfeito. O disco está novo, a melodia apaixonada a faz sorrir, e só então molha os lábios na bebida. Outro gole, dessa vez maior, desce queimando pela garganta, e lhe traz imediatamente um estado delicioso de relaxamento do corpo. Aquela história de vitória pessoal lhe trouxera pensamentos filosóficos sobre a vida e a morte. Somos todos acidente. Desabotoa o sutiã deixando seus peitos soltos, livrando-se do incômodo do fecho nas suas costas. Faz aquela manobra de tirá-lo pela manga. Pequenas gargalhadas. Agora sim, o segundo gole.

004-fanny-viguier-theredlist

Fanny Viguier

 

Menos tola

Deus que abençoe a morte com que me salvastes de uma vida tola – leu isso pela manhã, palavras de Tom Zé. Logo Tom Zé, um dos seus xodós. De vez em quando, as coisas faziam sentido! Havia encontros que tudo pra mim tinha valor naquele momento. São momentos em que tudo faz sentido, tudo fica bem. A gente se derrete por mais  um pouco daquele calor. Quero que acabe não, quero não. Esse estado flutuante e intenso era estranho, como se comporta quando se está flutuante e intenso? Vida tola, vida ordinária – tudo por uma vida menos.

.

download (1)