Seu abraço, uma fortaleza

Talvez você sinta que tudo o que você percebeu anteriormente, do viés pelo qual você percebeu, está finalmente caindo aos pedaços. Osso por osso. Perder as formas e as pessoas faz funcionar as loucas velocidades de alguns pensamentos destrutivos. Ali em pé, na praça, olha a chuva e sente um gosto de derrota forte na boca. Pés encharcados, calça úmida, esbarrões. A chuva nos poemas é bucólica, linda, te coloca pra pensar na vida. Coisas modernas. Se você perguntar-se com paciência e cuidado sobre as escolhas e as prodigiosas lentidões do viés das coisas terá uma percepção da potência de captar micro fenômenos, micro operações. Micro-gotas. Arrepios. Dá ao percebido a força de aceleradas ou desaceleradas, decisões. Elas só estavam esperando para se multiplicarem. Segundo um tempo flutuante que não é mais o nosso e necessidades que não são mais desse mundo: desterritorialização. Estamos sem lar.

‘Eu estava desorientado’ ouviu no ônibus. Ele mesmo não é mais senhor das velocidades, e alguns andavam como se estivesse vivendo. Só penso que quero isolar-me, ir para casa, ensimesmar-me. Talvez com rádio, boas baterias, melodias. Pois o que seria um futuro bom seria no abraço. Aquele. 

012_george-rodger_theredlist.jpg

George Rodger, Pondo women of the Transkei, South Africa, 1947

Deus é a sua solidão

Talvez um projeto ambicioso, uma micro performance inspirada na solidão e no contraste entre a esperança e o medo, alçado pelo poder do mito e pela importância das palavras (lembra da dificuldade da construção do eu, aço preto).

Evidência. Anotações em pé de página: empatia – estar com. (Olhando em seus olhos, olhando em seus olhos, olhando em seus olhos, eu estou olhando em seus olhos). Brinca com a aceitação, com a ação e o movimento.

Deus sempre nos deixou sozinhas.Um contraste semelhante que diz muito mais a respeito da geografia do que da filosofia, é criado baseado no tema de deserção motivacional. Era dilacerante ser insultada sobre as qualidades do meu pequeno corpo quando eu ainda era uma criança espiritual. Sentia que tinha que me tornar fisicamente capaz de me organizar e fazer o que precisava ser feito. A auto alegria, permanência e auto preservação me impeliam contra a conformidade religiosa predominante.  A grande questão da revolução está nos objetivos a serem alcançados, não nos meios para alcançá-los. Sobrevivência.

Estava gastando muitas horas da minha vida a fazer este trabalho, e se ia continuar, eu realmente gostaria que tivesse significado para mim. O começo com o som dos sinos da igreja, soavam como se a zombar, escarnecer da nossa existência. Enaltecer esse escárnio dando facetas redentoras do sofrimento é um ato violento. Exigência da não conformidade com as regras vigentes. A impressão geral é a de um dos pensamentos conflitantes: uma tristeza ao pensar que a religião pode não ser verdade, e a difícil força de eliminar a esperança de que um poder superior pode ainda estar presente, mas em silêncio. Se vivemos situações em que sistematicamente e constantemente se amordaça o feminino pelas tradições, a reação deve ser violenta. Nada disso faz sentido algum. Não mais ficar de joelhos diante do masculino divinizado.

A solidão do som, o silêncio da palavra é um reflexo do tempo, que durante a gravação, o artista mergulhado em sua própria psique, procurando significado e independência.

A luta é aparente no desejo do violoncelo tocando ao lado, banhado em lágrimas. Muitas vezes, o desespero parece ganhar, especialmente quando uma voz distorcida entoa ‘um mundo de trevas lhes aguarda…’. Este sentimento de não pertencimento, talvez um pouco demasiado óbvio (ainda um reflexo de raízes hardcore) reflete, no entanto, as palavras: “O que mais dói é esta – que Deus não é mais poderoso”. O minuto final não seria fora do lugar em um funeral. Com um número cada vez menor de pessoas que lêem, a música pode ser a nova literatura.

Parte II: A necessidade de sobreviver  é o próximo na súmula. Por agora, muito em que pensar. Se as duas partes seguintes são tão fortes quanto a primeira, será um tríptico incrível. Cabeças e corpos por todos os lados.

Renunciar, convidar e abraçar tudo de uma vez. Preponderando a mudança.

JAPAN. Tokyo. 1996. Waiting for the tube.

Gueorgui Pinkhassov, Waiting for the tube, Tokyo, 1996

É o meu corpo

Eu sou muito sensível e um bom pedaço desagradável. Eu não sou uma pessoa perturbada nem nada, mas definitivamente uma pessoa (em crise). Se pode lidar com isso ou contra isso. Tanto faz. Havia sempre trabalho para fazer e muitas outras coisas que eu estava interessada. Encontrei-me nesse lugar de angústia e algumas perguntas por todo o caminho de volta esteve sem resposta. Naquele ano crucial… Então percebi como – isso soa pouco um clichê – em uma ação voluntária, esvaziar-se de tudo o que se é, é libertador. Não há nada lá, nesse lugar de alma. É uma ideia. É um conceito. Não é real. Estou confortável com ambos. Você pode me chamar de qualquer coisa que quiser.

Passeando sobre esses conceitos e as outras pessoas decidiram o que era ou não em relação a essas coisas. Não me identifico com essas possibilidades. Eu só tenho esses pensamentos. Eles incentivam você a fazer declarações e ser uma pessoa provocante sem ser matizada.

Mas esses dias acabaram. Nós não vivemos nesse contorno mais. Algumas pessoas ainda vivem neste mundo sombra de falta de transparência e inautenticidade. Eu acho que o mundo está nos sendo roubado, compartimentado e estamos sendo excluídos. Pela causa, há diálogos a serem realizados, o que lhe dará os elementos-chave para decidir sobre as escolhas que precisaremos fazer. A superabundância de enfeites e distrações entorpecem. E acabamos por amar nossas prisões, ou pelo menos a grande maioria.

Você realmente não pode mentir mais. Pois que havia sempre muito trabalho a se fazer e não confie em coisas que parecem fáceis. 

couple-fume.jpg

Olivier Valsecchi, Couple

Foi agorinha

Você chorou embaixo das árvores domingo de manhã, bem reparei. A árvore esqueleto no vidro da janela, persiana do vento. Oh, nada é de graça, nem uma vela. Bem, talvez você possa ver e me dizer para onde foi. Folhas caídas enredam através do céu visto daqui. Uma lua nervosa incandescente do branco como o fogo, só deixo estar. E volto a respirar.

E está tudo bem agora, está tudo bem agora.

Música como na garganta de uma sereia, e estou te chamando, é minha voz. Você é um homem novo agora, que acorda coberto de sangue que não é seu. Cheio de energia proibida, cintilando na escuridão. Tinindo. Percebe que tem que romper com estruturas, percebe o que lhe falta para isto. Você chorou embaixo das árvores no domingo. Eu bem reparei.

 

041-lina-scheynius-theredlist.jpg

Lina Scheynius, Amanda in London, 2014

Será que você tem um monte de carinho?

2.3
Você é um pessoa muito bonita. Mesmo quando você está em pausa (e as circunstâncias a pedem), você parece não entender completamente o que significa ser uma pessoa bonita. E aquele amigo muito próximo que tem como principais qualidades (humanas) alguma paciência e doçura suficiente para um impacto direto sobre seus pensamentos irá te explicar. Chegará a te desarmar. O que você vai experimentar tanto em terra como no além-mar é que o melhor é que justamente as armas caiam. Isto é tanto uma certeza e uma verdade, mas no momento não ousaria permissão para dizer mais.

2.4

Naquele momento, isso teve um impacto maior sobre suas questões do que poderia imaginar. Uma prioridade é a amizade que você tem com ele. Sei lá se poderia  levar a gestos inapropriados de cá da sua parte. Você deve falar com ele para garantir que nenhum dano aniquile com a ideia. Será praticamente impossível de fazer, mas deve se esforçar, reforçar.

2.5

Franqueza e clareza em suas explicações poderiam levar a um debate ou uma discussão sem fim, então é melhor transmitir seus sentimentos com a esperança de que você os entenda.

2.6

Um cuidado especial para limitar os danos, porque este homem não necessariamente irá aceitar o que você diz. É aqui (de sua parte) que começa a negar uma realidade cada vez mais evidente. Mesmo que este homem não entenda você, ficará claro que não fazem mais do que o necessário. Goza de liberdade dentro dos limites que você criou para si mesma, ele repete. Tenha em mente que a água ocupa um lugar especial no toque e na pele. O seu papel não é claro, mas a sua presença é muito evidente.

conceitos-chave: coragem, originalidade, ilusão, equilíbrio, insegurança, campo, peixes, segunda-feira, mês de janeiro.

 

img_20161005_151116624-1

Ivana Almeida

Demorei para guardar os sonhos na gaveta

Quando você for mudar, com muitos lampejos de inspiração que, se bem organizados, podem ser  certeiros, guarde o seu descanso. Que não se esteja disposto a deixar o visual mundo e se você o quer mais escuro, sopre as velas. A menos que se tenha aquela coisa assim, não espere por nada. Você é igual a mim mas eu vivo fora da cidade, e sei que você não deve mudar o endereço da sua correspondência. São os números, lapsos cíclicos, vagares, como a filosofia, como a arte, como o próprio universo… não tem valor de sobrevivência; pelo contrário, é uma daquelas coisas que dão valor para a sobrevivência.

Anda a olhar para a beleza e os significados entre os destroços espirituais que encontra jogados pelo chão. E  sentada na janela aberta (às quatro da manhã), imagina como seria a queda de costas do segundo andar. Tipo poesia, mas que se desintegra em inverdades para qualquer um que já tenha sido impulsionado pela bondade forte e amarga de um amigo, ou sobre alegrias amplificadas por uma estranha disposição em frente à crise.

Se tira força e algum sorriso é mais por mania do que por alegrias que encontra. Provavelmente você não estava muito bem quando me escreveu, sempre a olhar os prós e contras, atrás de melhores sonhos. Não faz sentido ir contra atrasos e obstruções em inspirações mais sutis. Ventos de boa sorte irão soprar em sua vida em breve, dizem as cartas (onde há uma mulher nua ajoelhada à margem de um rio) e o curso da sua vida cotidiana se tornará menos conturbado.

Uma onda de introspecção, que merece cigarros miúdos. Muitos.

IMG_20160921_163901059[1].jpg

Ivana Almeida

 

 

Volta e meia

A força escura é que muda a forma da borda da árvore, todos os ventos finos tem ido para a noite e este mundo doce é muito mais velho que outrora. As artes, que geralmente oferecem mais satisfação, estão incertas. É difícil fazer uma vida sobre se está tudo bem com você… É a noite que sinto ao redor dos meus ombros quando (aqui vou eu) ouço que você foi lá fora à procura de algo para amar. Mesmo tanto tempo depois é encantador e torna-se difícil de acreditar que nós estamos caindo num instante-agora. Todas as coisas que amamos, amamos, amamos… Nos perdemos tanto em nossos corpos que, às vezes, caem quando tentam subir e ouço você procurando por algo… para amar. 

Sente-se ao meu lado, acenda um cigarro, tome um café. Me peça para relaxar, sinta-se forte. Eis os pássaros em todo o céu e ouço você lá fora à procura de algo para incendiar. As crianças erguem a cabeça em direção ao arco e nos puxam para longe. Não são as potências fortes que estão em jogo, mesmo que elas sejam mais fortes do que nós. Venha aqui sentar e dizer uma breve oração para o ar, o ar que respiramos e a ascensão surpreendente. Venha agora, venha agora. Não prenda a respiração enquanto você segue o longo caminho de volta.

Bem, eu ouvi que você foi à procura de algo para amar. Feche os olhos e prepare-se.

008-emmet-gowin-theredlist.png

Emmet Gowin, Nancy, Danville, Virginia, 1969/ 1991

Simplista

O coração conceitual está em minha mente, chamo-lhe abstrato. O que você não é mais. Você e eu? O conto deste puta sangue vai um pouco assim: parcos rituais de arte ruim e falha…O que mais posso dizer? Se eu tivesse a chance de falar com alguém, falaria sobre a vida dele e, em seguida, falaria sobre as minhas ideias.

Estou trabalhando nisso e no alto na loucura acontecem as falhas combinadas…  Eles podem se conectar e se tornar tudo, tudo o que um dia foi rasgado e assim ficou em sua vida. Mas venha comigo hoje, eu quero lhe mostrar uma coisa do meu mundo e vamos conversar sobre  como fica o gosto ruim na boca nesses dias, parece não ter fim. Já se sabe, para ser algo aqui é bom ser inadequado. Encontrar o mútuo coordenar de momentos de clareza são tão raros que até assusta quando acontece. A vista é feroz  e tudo o que importa agora é quem está aberto a ser. E quem coagulou?  E quem fechou as chances? 

Mostre-me as necessidades que tem! Deseja sincronizar os sentimentos com o os que têm compaixão, um pequeno exercício libidinoso…  a faz sentir a sua dor, como ordenhar uma pedra (milking a stone) para levá-la a dizer tudo o que for preciso.

Um último hit and roll, domar os demônios.

 

024-stacy-kranitz-theredlist.jpg

Stacy Kranitz, From series Don’t Drop the Potato

Nesse momento

Quando o espírito se move dentro de mim, vai saber, talvez pare de respirar por algum momento. Quase tudo é convertido em memória e a alma queima. É mais forte do que eu a vontade de que os escritos tenham uma vida sob o sol. Garrafas e copos ou o que quer que se encontrasse por ali, tornam-se em silêncio uma maneira tosca de começar o dia. E passar por isso antes de se dar por si totalmente era uma forma de se sentir mais feliz. O seguro está seguro aqui com você. Já é de manhã bem cedo, ninguém está acordado e estou de volta ao meu rochedo logo acima nas montanhas. Onde noites e paisagens se misturam, carros ficam embaçados, casas e estradas que são a cara de cenário com trepadeiras e ervas daninhas.

Pego coisas que posso jogar lá de cima e fico a ouvir os sons que elas fazem em seu caminho. As vozes me chamam e dizem que vou ficar bem, e que todas as coisas que eu deixei para trás, lá poderão ficar. Ninguém soube o que se passava com ele, mesmo vindo devagar depois de mim tentando esconder as coisas que não se queria ver, ele se comprometeu a. E se minha mente ficar louca, eu nunca soube sobre a vida, verdade seja dita. Não poderia comprometer a maneira como ele sempre olhou para mim, do jeito que sempre olhou para mim… Desejando ser apenas uma folha que desce a rua pelo vento que a pegou, abriu e passou um laço bordô que a enfeitou.

Ia lentamente depois de mim, sigo com os olhos até que me ultrapasse, até que depois desapareça por trás da memória dos mais de 600 retratos que ele fez. Um mundo que foi abandonado, e imaginar como as pessoas poderiam voltar para suas vidas era um exercício diário, enquanto enfrenta a própria retirada. Pisco e imagino o como meu corpo iria soar quando batendo contra as rochas… e quando cair os meus olhos estarão fechados ou abertos?

Eu vou passar por tudo isso antes de você acordar para que eu possa me sentir mais feliz com você.

008_andres-serrano_theredlist.jpg

Andres Serrano, Colt DA 45 , 1992

 

 

Não morrer demais

Alegrias conceituais bem sucedidas são difíceis de retirar do pensamento, mas o novo bate bem as metas das probabilidades. O escopo é ambicioso: a relação entre substâncias e poesias. As fontes são originais: transmissões de rádio, mensagens codificadas, bordados, bolas de lã e guardados das gavetas. E, no entanto, apesar do que se poderia imaginar, o som permanece puro e escuro, mal-humorado e eletrônico. Pode-se creditar isso ao grande volume dos contrastes dos amores disponíveis…  Enquanto debruçado sobre as pedras, se concentra em pequenas máquinas e engrenagens. Encontrar relação dos ritmos entre o diálogo do rádio antigo e o som da água.

A imagem dominante é a da tempestade se aproximando (que atingiu nos atingiu durante a noite, imprevisível), seguida pela perda sem precedentes da vida e da terra, e, finalmente, o rescaldo.

Mas outras histórias estão em jogo aqui, também no que se refere a uma barreira construída para a tal tempestade; um preciosista, que observando que a área está abaixo do nível do mar, abaixo do nível dos olhos, brinca que podem estar cavando suas próprias sepulturas, que faz com que o tempo não vivido permaneça… não vivido…

Então, você está com medo de quê? A resposta é de ser a mesma de antes, a mesma no canto, quieta, aquela que não diz tudo sobre si… enquanto a chuva cai. A maioria sabe que se inundando apenas de uma história não se encerrará com o período de chuvas. Mas com ou sem tempestade, a água estará sempre a subir. Na tentativa de fundir ameaça e reconciliação, buscando o mesmo tipo de harmonia que sente em ouvir sua música preferida ao gosto de um café antes das oito horas da manhã, quer se aliar com a experiência.

Quer ser devorada pelo mundo.

016-eva-besnyo-theredlist

Eva Besnyö, Self-portrait, Berlin, 1931

 

 

Frágil

Que a melancolia sempre assombra, escurece. Rouba o meio da noite, para sempre ou vez ou outra enternece, altera e seca aliviando um humor frágil. Queria era um jantar preparado. Foi-se toda a alegria e inspiração e uns rabiscos são tudo que tenho para mostrar, até ao romper da manhã. Procurar um traço de um beijo, um abraço. Às vezes conseguia fazer caminhadas ao amanhecer, o que pode um corpo? E isso fazia alegria. Muitos belos discursos, sugestões, documentos para o fim específico.

As almas se perdem sem reparações, pois as placas não falavam a verdade. No verão já estavam lá e ninguém lhes deu atenção, não levam a lugar algum. O que você mais se quer neste momento é apenas a lucidez da hora de seguir em frente, saber se está procurando a única coisa que vai trazer a não-ação (repetidamente). E agora eu quero ser um homem (ser um homem) homem vermelho, homem menstruando. Sempre tinha que ter mais.O limite de idade. Quem vai reparar minha alma? Não é de surpreender  as veias protuberantes em suas mãos, a pele mais seca, um caso clandestino. Às vezes só se quer desviar dos maus hábitos, como beber e fumar por exemplo, mas não é um momento para fazê-lo. Tentar uma leitura diferente. A boa sorte estará a caminho, esse não é um bom lugar de se estar.

Amanhã os braços abraçarão o vazio.

016-ingmar-bergman-theredlist
Ingmar Bergman por Irving Penn

Com a pele

Está se fechando demais, siga até eu ver onde você começa a se esforçar em tempos tão apertados. Quarenta horas para sair e verá quando os copos quebrarem no chão. Então vai ser tempo para crescer e eu vou tocar seu coração.  E siga até eu ver onde você começa a arder.‘Debaixo de montanhas cobertas de neve vou partir seu coração eu vou estar sob sua pele, vou partir seu coração’. E siga até eu ver onde você começa a quebrar a cara de todos eles. E o muro desmorona. Um momento íntimo de auto-reflexão e remorso. Me apequeno se questiono as coisas muito, e às vezes isso me leva a muito pouco, bem longe do possível. Auto-sabotagem mesmo diante da oportunidade de felicidade diante dos próprios olhos. Às vezes é mais fácil deixar o ego dominar e às vezes você fica preso em um momento que lhe dá alguma clareza. Um desses momentos: uma fração de segundo de atração que se transforma na percepção de que o que já tem ou teve é muito mais real e significativo do que o que está acontecendo lá, naquele momento. As relações são como tudo na vida que insistem só porque você está profundamente apaixonado por uma ideia, não o impede de ser cegado momentaneamente, fatalmente. Está tentando reconhecer esse traço e lutar contra esse instinto. Não há tal coisa como a perfeição, mas todos nós podemos tentar ser pessoas melhores, não podemos? Disse-lhe que nunca voltará para casa e se essa vontade se transformar em uma onda, deixará você sozinha. E a sua vida tomou um rumo estranho, desnorteando você no meio da noite e a noite se transformou em dia, e sua menina disse que te amava.

 

2008TorontoArt_KrisKnight

Kris Knight

Interior

E o seu coração montou em uma onda negra e sussurra que nunca voltará para casa.

Não olhe para baixo, eles estão fazendo sons loucos neste campo de batalha vazio. Não olhe para baixo. Não sei quem mais veio para ajoelhar-se. Hoje à noite tome uma dose, fume uns cigarros, tome sereno e deixe o rubor subir pelas pernas. Não são as vermelhas roupas que veste que irão aquietar os batimentos que insistem em doer. Há algo, mas não olhe para baixo. Sempre venta.

Explodir as coisas em preto e branco com fogo nas mentiras, tenha-se coragem. Ontem ele se mudou, hoje ele foi traído e na rua ali, no chão, os vizinhos se reúnem em volta montando guarda, lembrando das coisas que ainda tem que se cumprir mesmo que de forma sórdida.  Uma vida de trabalho, inúteis em prontidão. Não olhe para baixo nos próximos dias, tem um som ruim vindo de lá. O que você faz com uma vida de trabalho?

Segue no transporte para o campo de batalha para enfrentá-la ainda na parte da manhã. A separação dos caminhos da alegria é o choque que terá que vir. Por causa do que você quer? Ainda dói e só dói quando dói a vida de pensamento, no início da manhã, no meio da tarde e no início da noite. Comer ou ser comida? Eu sinto a fome nos olhos. Há algo, mas não olhe para baixo, eu sei quem são essas pessoas e sei o que elas representam. Marcas de mãos nas paredes, a saída comum é dizer a verdade e paredes marcadas podem destruir o pensamento de perfeita civilização ensolarada.

Truques e ensaios aguardam a criança. São apenas mais algumas noites a se conquistar.

84.31_hopper_imageprimacy_800

Edward Hopper

Levantou-noite

Isso é sobre-onde está sua cabeça? (Foda).

Não, querido, está chateada porque eles continuam mudando os sabores. Ele que nunca a tinha visto daquela forma, com roupa de casa, descalço, cabelos confusos. Ele disse que sabe de uma coisa, eu achei muito… limpo e apesar de tudo, estava presente. Pensava em novas formas de ser idoso. Sem mostrar algumas peles (cortou um tom grosseiro do porteiro) disse o que fez imediatamente e que o café estava esfriando. Estou mantendo o novo ‘espírito da coisa’ (era tão complexo que do corpo partiam uns raios com forte poder de atração) e reaprender com as meninas é um estranho tipo de alegria.

Olhou bem o terreno onde pisava quando tomou uma caminhada sozinha ontem à noite, quis saber se chovia forte de novo. Se arrastou novamente pra cama, as intenções boas dormiam dentro de sua cabeça. Caminho de ouro com um pouco de humor, era disso que precisava. Olhos miúdos, quis cigarros, quis leitura, quis chamegos.

Colocar-se rapidamente no meu lugar, lugar-conforto de cada palavra que de tão complicada como nós, inflama. Deve manter sua cabeça acima deles e você não precisa pedir muito para conseguir o meu ‘estar pronta’ para sonhar esperança em novas formas.

Deixe-me ver a marca da masculinidade do outro lado da mesa, em cinzas. Eu só posso sonhar de como seria tão impressionada por risos. Mas sexos sensuais dilaceram o coração mais forte do que a maior parte dos miúdos em outros dias… Agora corra ao longo da avenida, você tem que cair de quatro na minha fé,  lhe bastará alguma crença. Ele me ensinou a contenção. Então quer ser o lembrete de que é mais forte do que a maior parte dela mesma em outros dias. E quando eu voltar para a minha vida para conseguir me recompor, quando estiver de volta, eu acho que vou dar-lhe uma chamada.

043-mark-cohen-theredlist
Mark Cohen

In a different place

Seguia pelas ruas e de dentro do táxi observava pontes e lanternas traseiras dos carros. Ela apareceu perto da estação de metrô, de quase burca e carregando uma espécie de embornal. No verão, quando o clima é quente, a sua aptidão para deslizar pelas fronteiras enfraquece e ela escreveu algumas coisas surpreendentes enquanto esperava. Você pode esticar o nariz direto para cima e tocar o céu, estará apenas a fazer o que você sente. Traga sua garrafa, use suas roupas brilhantes e venha. Bem, eu não sei por que vim aqui esta noite, disse. Mas serviu. Eu tenho a sensação de que algo não está certo, assustada caso saia de sua cadeira e siga em minha direção; e eu estou só querendo saber como eu vou descer as escadas rolantes sem prender o pé, pelas que vieram antes e depois de nós. Resistência. Esta nova peça é sobre o quê?

Eu escrevi a ele como uma aflita e pedi alguns conselhos, e ele escreveu de volta algumas coisas surpreendentes. É uma troca que realmente me aquece. Ele mudou um monte de coisas sobre a minha vida. É um jeito especial de se conhecer alguém, não acha?

Você diz que está trabalhando agora em “sistemas”? Há uma série de sons e filtros para basicamente responder aos vermelhos. Nostálgico? Político? Algo mais? A polícia coloca alguns panfletos em circulação, verdades forçadas. Não moço, eu não fiz nenhuma dessas leis, elas não são para mim.

Eu não tenho uma resposta para isso agora. Uma nuvem de fumaça se espalhou pelos três andares superiores naquela época, não vou ser capaz de falar sobre isso dessa forma. Critérios bons são os que de alguma forma sejam verdadeiros. “Resonant” é uma palavra muito grande para mim. Há uma outra nova forma estranha de um mundo como nunca se viu antes.

É sobre o meu cachorro, minha mãe, tempo, vida, morte. Todas essas coisas.

 

O que você toca? Ouviu-se o som de estilhaço de vidro seguido de um forte estampido.

 

markCohenWomanSmoking
Woman Smoking – Mark Cohen

 

 

Irresistível

O papo é solto e o frio acontece na espinha quando as peles roçam.

Por vezes tão cansada que fecha-se por mais de quatro horas sempre gerando algum desconforto, além de desejos e intenções segundas em uma espécie de re-sentimento. Quando os tempos estão assim segue ficando no incerto. E até que o tenha de alguma forma sob a pele, vibrando, como a sensação eletrificada, seremos em suspenso. Porque você se parece com chuva, diferente a cada vez. A carcaça está a desmoronar-se e você finalmente poderá deixar que eu entre na sua vida. Será no tempo de frio, eu espero.

Os amores ficam bons, aconchego. Penso em escapar dali, ir embora, descer o elevador, devagar, lance por lance, para pensar. Vou de escadas, decido muito antes da minha saída. São mais felizes quando as coisas boas são esperadas para acontecer e não quando estão acontecendo. O ritmo é um dos mais poderosos dos prazeres, hum, e espera que continue assim. Ficaremos ali, a nos olhar, com Coltrane nas nossas costas tentando materializar o tão sonhado arrepio doce. Abrandar a respiração o suficiente para caminhar. Há de fato uma coisa como “tempo”, grita. Mas Matilde reverbera – pois é o segredo do bom tempo, e eu só vejo degraus. Arte, só por amor.

shoji-ueda-girls-1945.jpg

Shoji Ueda, Girls, 1945

 

 

Mas eu não posso esquecer quando nada

Quando você optar por esconder seus olhos, tira-me daqui, esvazie os bolsos. Vê se encontra conforto nessa vida, talvez eu sei que, talvez, seja melhor assim.

Mas eu não posso esquecer que quando eu sei onde estou todos os dias, todas as noites como aquele que sabe demais, estou sã. Antes que te visse você estava em um bar esfumaçado, cantarolando violent femmes, rabiscando guardanapos, nada que prestasse, disse.

Acordo sempre bem cedo e, por força da necessidade de me ver integrada ao mundo em que vivo resolvo, já com olhos embaçados e voz embargada, fazer café. Fumar. E você disse que gosta de conversar, gosta de brincar e que estava muito assustado ali ao lado.

Compra o meu pão. Uma senhora que dorme na calçada abraçada a uma criança de brinquedo, de acordo com os costumes antigos, acorda cedo também. Bem, eu não ligo para o que está certo ou errado quando você não está lá, então eu tranquei a porta. Deixe a chave por baixo quando sair.  Lembra como costumava dizer que só poderia ficar se fosse até tarde e eu não posso ficar acordada… E eu pensei de como nada nunca se sente mesmo que desapareça. Mas eu não posso esquecer o tempo que leva.

Eu lhe disse da rua?  Temos que contar nossos passos. Já tem mais de um ano, pois que a gente podia se melar novamente. Conte os passos, você deve se lembrar do caminho.

007_arno_rafael_minkkinen_theredlist

Arno Rafael Minkkinen

Não, você não precisa deitar em um divã

 

Hoje o dia pede que seja paciente. E quando você está em algo tão profundamente que você tem que retirar-se dos lugares comuns completamente?  Pois você não é mais aquela pessoa complicada de antes, já disse. Sussurrava: estou transbordando em sentimentos, não posso negar. Esmago casualmente o passado, mas às vezes eu fico realmente doce, em pensamentos. É afeto sempre. Eu estou ficando mais forte como pessoa, criando casca grossa. Mas às vezes eu só preciso… – ela está rindo agora – me cobrir de mandioca e carne e ficar escondidinha. E quentinha. Afeto é preciso. Olhar nos olhos, passar a mão, despedir. Condensava uma série de tarefas que estabeleceu cumprir, faz muito tempo que você não faz mais do que reler o mito de sísifo do camus. Pode ser um sinal do quanto a vida nos parece sem sentido. Em uma imagem se perdeu em silêncio e não há nenhuma maneira de sair. trabalha todos os dias de sua vida nas mesmas tarefas e esse destino não é menos absurdo. Mas ele só é trágico nos raros momentos em que se torna consciente. Acalme-se. A realidade está clara a sua frente e nem tudo é líquido. E quase dá pra apertar em um abraço. A visão está tão turva e eu estou tão cansada,  e eu vou abrir meu coração apenas para você.

 

001_chargesheimer_theredlist

Chargesheimer

 

É difícil lembrar da doçura

Para viver como as outras pessoas nessa época de compromissos, responsabilidade e foco. Concreto e prático. Essa mulher disse que eu estou dividida entre duas vidas, difícil esquecer a dor, mas é ainda mais difícil lembrar da doçura. Não temos nenhuma cicatriz para mostrar para a felicidade quando não temos como falar do amor. ‘Leve-me em uma unidade da noite, e depois para casa novamente numa viagem tranquila onde nos encontraremos no fim’ como em um pequeno romance. Desejo revestido de liberdade, memória e antecipação. ‘Eu ainda tenho uma arma de fogo para os meninos bonitos’ para viver como as outras pessoas. Hoje de manhã tinha um jornal cristão debaixo da minha porta. Para alguém que eu posso ter aliviado de todas as coisas que poderíamos fazer. Deve ser apenas as cores e a criança que mantêm alegrias por aqui. Porque quero ir à passeio nas distâncias, para uma noite de janeiro, um velho amigo. Arregaçar as calças de brim, mostrar as pernas grossas, membros nem delgados e depois iria me abraçar. É tão difícil ir na cidade. Agora tudo o que quero fazer é ir a lugares vermelhos e tentar ficar bem. Isso me manterá viva nesta noite de janeiro.  Há uma falta de graça (que podemos dar a palavra seu duplo sentido aqui).

009_yasuhiro-ishimoto_theredlist

Yasuhiro Ishimoto